DENTRO DO PRESÍDIO

Sequestro de Moro: quem são os membros do PCC que mataram os suspeitos na prisão e por quê

Três presos assumiram o assassinato de Nefo e Rê, que planejaram o sequestro e assassinato de Moro. Eles disseram que o crime foi um "acerto de contas". A ordem, no entanto, partiu da cúpula do PCC por outro motivo

Sergio Moro no Senado. Ao fundo Flávio Bolsonaro.Créditos: Geraldo Magela/Agência Senado
Escrito en POLÍTICA el

Acusados de planejarem o sequestro e assassinato do hoje senador Sergio Moro (União-PR), Janeferson Aparecido Mariano Gomes, o Nefo, e Reginaldo Oliveira de Sousa, o Rê, integrantes do Primeiro Comando da Capital, o PCC, foram assassinados na tarde desta segunda-feira (17) por comparsas da mesma facção dentro da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, no interior de São Paulo.

O crime ainda é cercado de mistérios, mas a Polícia Civil já identificou os três assassinos e o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) afirma que as mortes ocorreram a mando do próprio PCC. Resta saber, agora, qual seria a motivação.

Três presos assumiram o crime: Luís Fernando Baron Versalli, Ronaldo Arquimedes Marinho, e Jaime Paulino de Oliveira. O assassinato aconteceu depois do almoço, durante banho de sol dos presos no pátio. Nefo foi morto a facadas dentro do banheiro. Rê foi assassinado em seguida.

De forma sucinta, teriam afirmado à polícia que o assassinato de Nefo e Rê se deu por um "acerto de contas". Um quarto suspeito é investigado.

Cúpula do PCC

No entanto, reportagem de Josmar Jozino no portal Uol revela que a ordem para os assassinatos teriam partido da cúpula do PCC. O motivo seria que os dois acusados de planejarem o sequestro de Moro teriam "falado demais".

Além de Rê e Nefo,  a juíza Sandra Regina Soares, da 9ª Vara Federal de Curitiba, aceitou denúncia contra 11 acusados. Oito deles viraram réus por organização criminosa e extorsão mediante sequestro.

Dentro do PCC, Nefo e Rê operavam uma célula de execução de ações estratégicas, e seus integrantes se reportam diretamente para a cúpula da facção.

Eles teriam sido flagrados em escutas e investigações da PF arquitetando o sequestro e assassinato de Moro, assim como um atentado que visava executar o promotor paulista Lincoln Gakiya, o chefe do GAECO, o grupo de repressão do MP que, entre outras incumbências, investiga o Primeiro Comando da Capital.

Os assassinos

Os três assassinos de Nefo e Rê já identificados pela polícia têm penas superior a 36 anos de prisão em condenações por homicídio.

Versalli, de 53 anos, tem a pena maior de todos eles: 69 anos e seis meses por latrocínio e homicídios, um deles dentro da penitenciária de Iaras, também em São Paulo, em setembro de 2003.

Marinho, de 53 anos, foi condenado a 39 anos e 11 meses por homicídio, roubos e furtos. Em 2020, ele ganhou de  André Oliveira Macedo, o André do Rap, roupas, calçados, toalhas, fronhas, lençóis, cobertor, travesseiro, uma Bíblia e dois livros. À época, ele deixou a P2 em um habeas corpus.

Terceiro réu confesso, Oliveira tem 46 anos e está condenado a 36 anos e 4 meses por homicídios no interior de São Paulo. 

Os três foram isolados em um pavilhão disciplinar e vão responder por duplo homicídio.