PAPO RETO

PL do estupro: Felipe Neto dá a melhor resposta possível para bolsonaristas

O comunicador foi atacado massivamente após publicar um vídeo onde critica o projeto de lei que visa equiparar o aborto ao crime de homicídio

PL do estupro: Felipe Neto dá a melhor resposta possível para bolsonaristas.Créditos: Reprodução redes sociais
Escrito en MÍDIA el

Não que seja algo excepcional na vida do influenciador e comunicador Felipe Neto, mas depois de publicar um vídeo onde desanca o "PL do estupro" (PL 1904/24) e a bancada evangélica, principalmente a figura do pastor Silas Malafaia, Neto passou a ser alvo de um ataque massivo.

No entanto, Felipe Neto deu a melhor resposta possível para a horda bolsonarista e fundamentalista que passou a atacá-lo sistematicamente desde a última sexta-feira (14), quando publicou o vídeo com críticas contundentes ao PL do estupro.

De maneira irônica, Felipe Neto mandou um papo reto para bolsonaristas e fundamentalistas: "Esqueci que isso aqui é o Twitter e qualquer textão vai ser lido 10% e os comentários serão imaginando a sua própria versão do texto. Fod*-se. Não ao PL do Estuprador!", escreveu o comunicador em seu perfil no X.

VÍDEO - Felipe Neto detona PL do estupro: "crueldade"

 

O comunicador e influenciador Felipe Neto publicou um vídeo nesta sexta-feira (14) em que critica de maneira contundente o PL 1409/24, que equipara o aborto após a 22ª semana ao homicídio. O “PL do estupro”, como está sendo chamada a matéria, é fruto de uma articulação do pastor Silas Malafaia, da bancada evangélica, e contou com o apoio do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL).

Para Felipe Neto, "a criação dessa lei vai fazer muita gente tentar impedir que essas meninas consigam fazer o aborto até a 22ª semana. Aí, quando chegar na semana vinte e dois, terão a lei para proibi-las. É escandaloso, gente! É teocracia. O Brasil é guiado pela Constituição Federal, não é pela Bíblia. Os países que são guiados por escrituras não são exemplos que a gente tem que seguir. É o Afeganistão, é Arábia Saudita."

Posteriormente, o comunicador critica o fato de o PL visar “transformar o aborto num crime de homicídio. Uma mulher que decide hoje abortar no Brasil tem que recorrer à ilegalidade e, se for pega, essa mulher, por mais que responda a um processo criminal, não é presa. Ela vai talvez ser condenada, mas na maioria esmagadora dos casos não há prisão envolvida. O que eles querem é igualar esse aborto dessa mulher, que até hoje não era mandada para um presídio, ao crime de homicídio. Não só querem mandar essas mulheres para presídios por muitos anos, mais anos do que o estuprador!”

Em outro momento, Felipe Neto frisa que o “PL do estupro” é “como sempre, um escândalo promovido pela extrema direita, pela bancada evangélica. É importante que se dê nomes: é a bancada evangélica do Congresso Nacional, que vem se tornando, nos últimos trinta anos, um dos maiores poderes dessa nação e fala abertamente que eles têm um plano de poder para o Brasil, um plano de dominação cristã no Brasil.”

“Eles não têm vergonha de dizer isso, porque acham que é isso que tem que acontecer. O Brasil tem que ser um Afeganistão cristão. Esse é o sonho dessas pessoas, guiar o Brasil com o Antigo Testamento. Por esses caras, a homossexualidade seria proibida. Quantas vezes Silas Malafaia e seus asseclas compararam a homossexualidade com a pedofilia? É como sempre uma crueldade com a mulher, mas podem ter certeza de que, se homem engravidasse, o aborto seria legalizado desde sempre,” critica Felipe Neto.

Confira no vídeo abaixo a íntegra do pronunciamento de Felipe Neto: