RECONSTRUÇÃO

Tragédia no RS: Lula libera R$ 22 milhões para recuperar universidades no estado

Os recursos do governo federal integram o pacote de R$ 1,8 bilhão destinado à reconstrução do estado gaúcho

Imagem Ilustrativa.Créditos: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil
Escrito en POLÍTICA el

O governo federal divulgou que vai destinar mais verbas para a reconstrução do Rio Grande do Sul. O presidente Lula liberou R$ 22 milhões em crédito extraordinário para recuperação de universidades e institutos federais atingidos pelas enchentes no estado.

Os recursos integram o pacote de R$ 1,8 bulhão destinado à reconstrução do estado gaúcho.

Entre as prioridades, indicadas pelas instituições federais de ensino, estão o auxílio à Casa do Estudante Indígena da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRG) e a compra de combustível para veículos, geradores de energia e novos equipamentos meteorológicos para previsão de catástrofes para a Universidade Federal de Pelotas (UFP).

Foram relacionados, ainda, os danos estruturais sofridos pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), que receberá R$ 8,5 milhões. O Instituto Federal do Rio Grande do Sul ficará com R$ 2,4 milhões, o Instituto Federal Sul-rio-grandense com R$ 2,3 milhões, o Instituto Federal Farroupilha com R$ 2,2 milhões, a Fundação Universidade Federal do Rio Grande com R$ 2 milhões, a Fundação Universidade Federal do Pampa com R$ 1,8 milhão, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul com R$ 1,5 milhão, a Fundação Universidade Federal de Pelotas com R$ 1,1 milhão e a Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre com R$ 450 mil. As informações são da coluna de Paulo Cappelli, no Metrópoles.

Comissão de Avaliação do Programa de Educação Tutorial

O governo Lula estabeleceu, também, a criação da Comissão de Avaliação do Programa de Educação Tutorial (PET). O objetivo é tratar do planejamento e do relatório anual dos Comitês Locais de Acompanhamento e Avaliação (CLAA) das instituições que abrigam grupos PET, além de analisar o desempenho dos comitês e do programa nessas instituições.

A comissão, presidida pela Secretaria de Educação Superior e composta pela Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização de Jovens e Adultos, Diversidade e Inclusão (Secadi), deverá propor ao Ministério da Educação (MEC) extinção, manutenção ou ampliação dos grupos e as indicações de substituição de tutores.